Nivelando o conhecimento – por baixo, é claro

Então, estão os alunos todos revoltados com a nota da redação do ENEM.Eu tenho alunos que estão exatamente nesse período estudantil (ou faixa etária, como queiram, mas não seria justo nem preciso).
E como quase 100% das pessoas aqui, eu trabalho com pessoas e já estudei com muita gente.
Tenho que ler, todo santo dia, o que essas pessoas escrevem.
E é triste. A imensa maioria não faz direito nem o básico. Encontramos o tempo todo gente que “Derrepente” estava com “preguissa” de pesquisar o mínimo necessário pra escrever algo decente ou inteligível.E todo mundo sabe disso. Todo mundo vê isso! Mas não, são os estudantes, o futuro do Brasil e blá blá blá. Aí é diferente, né?

Não, não é!

Há professores meus, inclusive, a quem muito devo, mas que não são capazes de formular uma frase com mais de 5 palavras que faça algum sentido. Trabalhei com gente que até proibida de mandar e-mails pra diretoria foi, de tão mal que escrevia.
Não façam muito esforço: olhem, nesse exato momento, os posts de uma ou duas roladas de página de amigos de vocês, e vejam se eu estou errado. Com exceção dos erros que são cometidos por ironia, brincadeira ou coisa do tipo, a situação é simplesmente DEPRIMENTE.

Minha interpretação da situação é de que esse pessoal escreve mal pra diabo, e só isso. Só o que estão fazendo é pedir pra que baixem o nível de exigência ao nível deles.

Como tudo no Brasil, nivelemos logo ao nível do ignorante. Já que aqui, é assim que a coisa rola: se a situação vai mal, o problema não está nos ruins; está na falta de boa vontade dos bons em chafurdar na mesma merda que os idiotas.

Anúncios